Shop Forum More Submit  Join Login
A vida é curta, todos o sabemos. A maior parte do tempo que vivemos é de forma enganada, atroz, moribunda… procurando por um rumo que nunca existiu, pois os verdadeiros sonhos nunca nos guiaram, apenas os passageiros, que nada mais são que atalhos para caminho algum.
Não desesperamos, pois encontramos refúgios em actividades várias que nos contentam a curiosidade a e os tais sonhos de passagem. Enquanto os tivermos, a vida é moldada por uma rotina que acreditamos não existir, pois procuramos viver as diferentes experiências intensamente, sendo esse o nosso quotidiano, o nosso vício, igual ao de todos os outros. Não nos diferenciamos dos outros ao experimentar diferenças, mas sim ao atingir a consciência do que essas diferenças podem fazer por nós. Se através delas conseguirmos traçar um rumo pessoal a longo prazo, elas serviram para algo, não foram meros atalhos individuais para uma plenitude repentina e de fraca duração.
Temo a ficção. Ela é capaz de entrar nos nossos sonhos de infância e provocar grandes alterações na forma como vemos o mundo. O mundo segundo a ficção ora tem locais paradisíacos, ora tem cenários do pior conflito humano. Estes extremos são retratos que nos moldam a forma de sonhar de uma maneira que atribula o nosso conceito de futuro, visto que nos torna dependentes de uma imagem que poderá nunca existir ou ter existido, seja ela positiva ou negativa. Tais cenários levam imediatamente a um congelamento da acção, procurando o ser humano resguardar-se no mundo em que vive, evitando projectar o seu futuro sob pena deste se tornar caótico e similar à imagem que assentou da ficção negativa. Por outro lado, o papel da ficção positiva é quase nulo na construção de um futuro, pois rege-se pelos valores da fé e da crença em que um dia chegaremos a tal cenário ideal. Nunca ninguém imagina o caminho para se lá chegar, mas todos imaginam como é linda a mais bela ficção que a nossa imaginação projecta. Pelo contrário, o cenário do caos é facilmente assimilado pois sabemos que se não seguirmos as regras da sociedade, acabaremos nessa ficção negativa. A diferença entre os dois caminhos que a ficção nos leva a seguir torna-a num conceito maquiavélico e com um claro intento de nos fazer esquivar do caminho que num dia de discernimento, ousámos traçar.
A minha primeira deviation em meses e não grande coisa, apenas umas palavras que se uniram na minha mente ontem.
:iconjotamyg:
jotamyg Featured By Owner Aug 12, 2007  Hobbyist Photographer
Gosto do texto, da maneira como expões as tuas ideias. É um texto um pouco triste e deixa-nos a pensar :)

:clap:
Reply
:iconluafria:
LuaFria Featured By Owner Aug 8, 2007  Professional Artisan Crafter
bem o importante é ter ideias!!! e isso tu tiveste,:) com ajuda ou não da ficção que te levou a escrever...as palavras são reais!!!:)
Reply
:iconnjord:
Njord Featured By Owner Aug 10, 2007
Obrigado. A ficção e a realidade confundem-se na maior parte das vezes, sendo que o deja vu é provavelmente a melhor prova disso ;)
Reply
Add a Comment:
 
×

:iconnjord: More from Njord


More from DeviantArt



Details

Submitted on
August 8, 2007
File Size
2.7 KB
Thumb

Stats

Views
148
Favourites
1 (who?)
Comments
3
×